quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O Alemão

Pretendo em breve fazer uma pespectiva da campanha militar política que vimos recebntemente no morro do Alemão, eu usuário da avenida brasil mais de perto do que gostaria.
Mas enfim depois de cagadas inacreditáveis da secretaria de segurança pública, a situação saiu do controle e se gerou o caos.
Após dar fuga a bandidagem e interferir no trabalho da PM, secretaria de segurança pública foi obrigada a pedir auxílio das forças armadas que entraram junto com o comando da PM e tiraram os políticos da SSP do jogo. Após uma invasão cuidadosamente preparada pelo governo do estado para servir de propaganda política e apagar da memória coletiva a merda feita os militares e deram o jeito.

Isso me lembra uma postagem que fiz a alguns meses,  Aconclusão é a mesma, a polícia só é ineficiente quando os políticos estão por perto.

Sabem de uma coisa, achom que não vou detalhar o que vi nesssa campanha do Alemão, estou enojado desse governo cínico, causador dos males nossos, aliado do tráfico.
É desperdício escrever o que vi, a globo é muito mais poderosa que eu convencerá a todos de que o governo do estado é bonzinho e queria ocupar a favela, UPP de mentirinha e etc...

É melhor eu continuar a ler meus manuais de limpeza de armas, tiro e marcha , sinto que em breve vou precisar deles...

Se deus é brasileiro o diabo também deve ser.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Um Portugues se Acidentou

Um portugues se acidentou em uma obra em Portugual e descreveu o sinistro assim:

"Em resposta ao pedido de informacao adicional, informo:

No quesito nº 3, da participação de sinistro, mencionar "tentando fazer o trabalho sozinho" como causa do meu acidente. Disseram na vossa carta que deveria dar uma explição mais pormenorizada, pelo que espero que os detalhes abaixo sejam suficientes.

Sou assentador de tijolos. No dia do acidente, estava a trabalhar sozinho no telhado de um edificil novo de 6 (seis) andares. Quando acabei o meu trabalho, verifiquei que tinham sobrado 350 quilos de tijolos. Em vez de os levar a mão para baixo, decidi colocá-los dentro de um barril, com a ajuda de uma roldana, a qual felizmente estava fixada num dos lados do edificio, nº 6 andar.

Desci o barril com uma corda, fui para o telhado, puxei o barril para cima e coloquei os tijolos dentro.

Voltei para baixo, desatei a corda e segurei-a com força, de modo que os 350 quilos de tijolos descessem devagar (de notar que no quesito nº 11 indiquei que o meu peso era de 80 quilos).

Devido à minha surpresa, por ter saltado repentinamente do chão, perdi a minha presena de espírito e esqueci-me de largar a corda. E desnecessário dizer que fui içado do chão a grande velocidade. Na proximidade do 3º andar eu bati no barril que vinha a descer. Isto explica a fratura do crânio e a clavicula partida.

Continuei a subir a uma velocidade ligeiramente menor, não tendo parado ate os nós dos dedos das mãos estarem entalados na roldana. Felizmente que tinha recuperado a minha presença de espírito e consegui, apesar das dores, agarrar a corda. Mais ou menos ao mesmo tempo, o barril com os tijolos caiu no chão e o fundo partiu-se. Sem os tijolos, o barril pesava aproximadamente 25 quilos (refiro-me novamente ao meu peso no quesito 11).

Como podem imaginar, comecei a descer rapidamente. Proximo ao 3º andar, encontro o barril que vinha a subir, isto justifica a natureza dos tornozelos partidos e das lacerações das pernas, bem como da parte inferior do corpo.

O encontro com o barril diminuiu a minha descida o suficiente que minimizou os meus sofrimentos, quando cai em cima dos tijolos e felizmente só fraturei 3 vertebras.

Lamento no entanto informar que enquanto me encontrava caido em cima dos tijolos, com dores, incapacitado de me levantar, e vendo o barril acima de mim, perdi novamente a presença de espírito e larguei a corda. O barril pesava mais que a corda e então desceu e caiu em cima de mim, partindo-me as duas pernas.

Espero ter dado a informacao solicitada do modo como ocorreu o acidente"

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Surpresa! Bilhete Único Carioca, usuários (só) têm problemas

Como se ningueum soubese que ia dar m*, cada vez me surpreendo mais com a capacidade de negar a realidade que possuem os governantes. 

Segue a reboque outra "SURPRESA",  a legalizaão dos cartel de onibus que existe há anos na cidade do rio de janeiro. Haja saco.

O deboche da "LICITAÇÃO" foi tão grande que algumas empresas já timham enconmendado carros novos que já saíram de fábrica com a pintura nova e forma já estavam prontos antes de serem abertos os envelopes, como por exemplo na linha 367, viação campo Grande.

Materia do jornal EXTRA

Bruno Gonzalez

No primeiro dia útil de implantação do Bilhete Único Carioca (BUC) faltou tempo e sobrou confusão. Na Zona Oeste, muitas pessoas não sabiam como usar o sistema e não tinham com quem tirar dúvidas. Além disso, os cariocas ainda não sabem ao certo se o BUC será uma alternativa válida diante do tempo de utilização entre as duas viagens — duas horas — e os enormes congestionamentos da cidade.
Moradora de Jacarepaguá, a caminho da Praça Mauá, a técnica de Laboratório Aline Cavalcanti perdeu o direito à integração logo no primeiro dia: foram 2h15m de Jacarepaguá até a Central do Brasil. Segundo ela, os congestionamentos na Linha Amarela e na Avenida Brasil são constantes. E ainda há uma obra na altura da FioCruz, em Manguinhos, que prejudica mais ainda o trânsito.
— Eu acho que esse tempo deveria ser de no mínimo três horas nos horário de pico. Quem mora longe vai perder esse direito — lamentou.
O EXTRA testou o período de duas horas do BUC entre uma condução e outra. Pegamos um ônibus da linha 397 (Campo Grande - Largo da Carioca) às 9h25m desta segunda-feira. Depois de rodar por Campo Grande e Bangu, chegamos à Avenida Brasil. Tudo tranquilo até a altura de Irajá, onde o trânsito piorou e o congestionamento começou.
Seguimos viagem até o ponto final e só conseguimos chegar ao Largo da Carioca às 12h10m, depois de 2 horas e 45 minutos de trajeto. O tempo tirou a viabilidade de uso do BUC para um morador da Zona Oeste que precise de mais uma condução do Centro a outro bairro da cidade. O mensageiro Anderson Balbino, que seguiu de Campo Grande à Penha, e de lá para a Ilha do Governador, também não conseguiu chegar a tempo. A Secretaria Municipal de Transportes confirmou que não há, por enquanto, previsão de aumento do prazo.

Pablo Jacob

Fiscais nas linhas
Nesse primeiro dia útil de BUC e de operação dos quatro consórcios vencedores de licitação promovida pela prefeitura, a Secretaria de Transportes constatou que 82% (173) das 210 das linhas vistoriadas, até 19h, estavam em desacordo com as novas regras. Como no fim de semana, a falta do adesivo obrigatório identificando o consórcio voltou ontem a ser a principal falha identificada pelo órgão. A subsecretaria flagrou ainda linhas com a frota abaixo do número exigido. Por enquanto, não estão sendo aplicadas multas: os consórcios (Internorte, Intersul, Santa Cruz e Transcarioca) estão sendo advertidos e orientados.
Segundo o Rio Ônibus (sindicato que reúne as empresa do setor na capital), todos coletivos estarão com adesivos dos consórcios até o fim desta semana. A entidade nega que as empresas tenham colocado menos ônibus em algumas linhas.

MP investiga se há fraude
O Ministério Público do Rio instaurou investigação para apurar a prática de cartel e uma possível fraude na licitação de linhas de ônibus no município do Rio. Segundo o Rio Ônibus, as empresas de ônibus da cidade, ao participarem da licitação, observaram os procedimentos e trâmites legais instituídos pela Prefeitura.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Divisão política do inferno!

Bom esta tarde estava ouvindo uma entrevista do ex-deputado e senhor da moret, entre outros títulos Hildebrando pascoal.
Para quem não lembra ele era o poderoso rei de um pequeno estado da região norte, conhecido por partir seus inimigos políticos com uma motoserra.
Um desses estados minúsculos que só servem para sugar a união e perpetuar o sub-sistema feudal que existe dentro da república brasileira, tal como os coronéis no nordeste.
Mas isso não vem ao caso, escutando a entrevista cheguei a uma conclusão, deve ser mais ou menos dessse jeito a divisão política do inferno, que  provavelmenteé localizado no cú do mundo lá pelo norte ou nordeste do Brasil....


terça-feira, 9 de novembro de 2010

A língua portuguesa é difícil...

AMÁ-LA   ou   AMAR-TE?

O marido, ao chegar em casa, no final da noite, diz à mulher que já
estava deitada:
- Querida, eu quero amá-la.
A mulher, que estava dormindo, com a voz embolada, responde:
- A mala... ah não sei onde está, não! Use a mochila que está no
maleiro do quarto de visitas.
- Não é isso querida, hoje vou amar-te.
- Por mim, você pode ir até Júpiter, Saturno e até à puta que o pariu! Desde que me deixe dormir .

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Marina,... você se pintou?

Texto recebido pela internet, vendo as alianças entre o PSDB e o PV no Rio de Janeiro, só me resta concordar.
 
Por Maurício Abdalla

“Marina, morena Marina, você se pintou” – diz a canção de Caymmi. Mas é provável, Marina, que pintaram você. Era a candidata ideal: mulher, militante, ecológica e socialmente comprometida com o “grito da Terra e o grito dos pobres”, como diz Leonardo.
Dizem que escolheu o partido errado. Pode ser. Mas, por outro lado, o que é certo neste confuso tempo de partidos gelatinosos, de alianças surreais e de pragmatismo hiperbólico? Quem pode atirar a primeira pedra no que diz respeito a escolhas partidárias?
Mas ainda assim, Marina, sua candidatura estava fadada a não decolar. Não pela causa que defende, não pela grandeza de sua figura. Mas pelo fato de que as verdadeiras causas que afetam a população do Brasil não interessam aos financiadores de campanha, às elites e aos seus meios de comunicação. A batalha não era para ser sua. Era de Dilma contra Serra. Do governo Lula contra o governo do PSDB/DEM. Assim decidiram as “famiglias” que controlam a informação no país. E elas não só decidiram quem iria duelar, mas também quiseram definir o vencedor. O Estadão dixit: Serra deve ser eleito.
Mas a estratégia de reconduzir ao poder a velha aliança PSDB/DEM estava fazendo água. O povo insistia em confirmar não a sua preferência por Dilma, mas seu apreço pelo Lula. O que, é claro, se revertia em intenção de voto em sua candidata. Mas “os filhos das trevas são mais espertos do que os filhos da luz”. Sacaram da manga um ás escondido. Usar a Marina como trampolim para levar o tucano para o segundo turno e ganhar tempo para a guerra suja.
Marina, você, cujo coração é vermelho e verde, foi pintada de azul. “Azul tucano”. Deram-lhe o espaço que sua causa nunca teve, que sua luta junto aos seringueiros e contra as elites rurais jamais alcançaria nos grandes meios de comunicação. A Globo nunca esteve ao seu lado. A Veja, a FSP, o Estadão jamais se preocuparam com a ecologia profunda. Eles sempre foram, e ainda são, seus e nossos inimigos viscerais.
Mas a estratégia deu certo. Serra foi para o segundo turno, e a mídia não cansa de propagar a “vitória da Marina”. Não aceite esse presente de grego. Hão de descartá-la assim que você falar qual é exatamente a sua luta e contra quem ela se dirige.
“Marina, você faça tudo, mas faça o favor”: não deixe que a pintem de azul tucano. Sua história não permite isso. E não deixe que seus eleitores se iludam acreditando que você está mais perto de Serra do que de Dilma. Que não pensem que sua luta pode torná-la neutra ou que pensem que para você “tanto faz”. Que os percalços e dificuldades que você teve no Governo Lula não a façam esquecer os 8 anos de FHC e os 500 anos de domínio absoluto da Casagrande no país cuja maioria vive na senzala. Não deixe que pintem “esse rosto que o povo gosta, que gosta e é só dele”.
Dilma, admitamos, não é a candidata de nossos sonhos. Mas Serra o é de nossos mais terríveis pesadelos. Ajude-nos a enfrentá-lo. Você não precisa dos paparicos da elite brasileira e de seus meios de comunicação. “Marina, você já é bonita com o que Deus lhe deu”.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Linha Auxiliar

Prezados leitores,

Estou transferindo a parte ferroviária do Blog para outra página.
Embora inicialmente estapágina não se devesse a ser uma fonte de pesquisa ferroviária, a paixão falçou mais alto.
A pesquisa e documentação histórica merecem um espaçõ dedicado e mais organizado para sua existência.
Assim sendo estou abrindo o blog, linha auxiliar com o objetivo de tratar a documentação técnica e histórica da ferrovia do jeito correto.

Repliquei a maior parte do que já foi publicado aqui na nova página, mas manterei as postagens sobre trens neste blog para evitar problemas com links quebrados por exemplo.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Até bandido já sabe!

Até a galera da mão grande já sabe como contronar os engarrafamentos nas metrópoles.

 Grupo assalta banco na Avenida Paulista e foge de metrô

Agência fica próxima ao cruzamento com a Rua Augusta.
Polícia Militar diz que quatro pessoas participaram da ação.

Do G1 SP
Assaltantes roubaram uma agência do Santander na Avenida Paulista, perto da Rua Augusta, por volta das 12h30 desta segunda-feira (20). Logo após o assalto, os criminosos fugiram de metrô pela estação Consolação, segundo informações da Polícia Militar.
Ainda de acordo com a PM, quatro pessoas participaram da ação. O caso é registrado no 78º DP, nos Jardins. Até as 15h, a Delegacia do Metrô não tinha informações sobre o crime.

Santander coloca aviso em agência assaltada 
Santander coloca aviso em agência assaltada
(Foto: Luciana Ribeiro/G1)
 
Na agência, um aviso foi colocado pedindo que os clientes procurassem outros locais para realizar operações bancárias.
No comunicado, o banco pede "desculpas pelo transtorno" e atribui o fechamento do banco a uma "manutenção emergencial no sistema", sem fazer alusão ao assalto.
O banco fica em um condomínio chamado Central Park. O gerente predial Rogério Ferreira diz que logo após o assalto a polícia fez um cerco ao prédio e revistou todas as pessoas que estavam de terno e gravata, inclusive os seguranças do edifício.
"O maior erro da polícia foi descer aqui e segurar meus seguranças enquanto os ladrões fugiam." Ferreira diz que há um circuito interno do prédio e que as imagens serão colocadas à disposição da polícia para tentar identificar os assaltantes.
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/09/grupo-assalta-banco-na-avenida-paulista-e-foge-de-metro.html

duas coisas passam quase despercebidas na notícia
1- O banco sofreu um assalto, escondeu isso dos clientes e ainda tentou colocar a culpa na PM, o que eles queriam um tiroteio no metrô lotado para recuperar o dinheiro?
2- Para impedir de fotografar as ferrovias e suas C.O's as operadoras tem "sigurança" SOBRANDO, para rastrear um criminoso ou impedir o ilícito dentro de suas instalações nada...

Aplicação otimizada de recurso técnico paliativo

Esqueça todas as gambiarras que você já viu. Esta merece o Oscar.


image001.jpg

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

AFPF setembro de 2010

Segue o informativo da nossa associação. mesmo com os problemas causados pelas chuvas que atingiram a região a ferrovia continua a operar.



segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Apertem o cinto que a janela caiu

Para que duvida das peripécias da nossa amiga supervéia, digo supervia.


Lembre-se, esse ano tem eleição e os safadso que renovaram a concessão da supervia, (Sergio Cabral e Júlio Lopes), são candidatos. Lembre-se do que pode acontecer se essa turma continuar.

foto jornal O Dia , via Jorge A. Ferreira.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Nem tudo é derrota na ferrovia

A oitava estação do Metrô do Cariri vai começar a operar na próxima segunda-feira, 13. A Estação Fátima está localizada em Juazeiro do Norte. O Metrô do Cariri liga os municípios de Juazeiro do Norte e Crato e já opera com as estações de Juazeiro, São Pedro, Antônio Vieira, São José, Muriti, Padre Cícero e Crato.
Atualmente, o sistema transporta em média 1.700 pessoas por dia, de segunda a sexta-feira, das 6 às 19 horas, e aos sábados, das 6 às 14 horas. O serviço foi inaugurado em dezembro de 2009 e é operado com dois veículos do tipo Transporte Rápido Automotriz (Tram). Os trens foram fabricados pela empresa Bom Sinal, de Barbalha.
O Projeto do Metrô do Cariri é o primeiro de requalificação do sistema ferroviário de transporte de passageiros no interior do Estado. Envolveu investimentos do Governo do Estado da ordem de R$ 25 milhões que abrangeram a remodelação da via permanente entre o bairro Vila Fátima, no Juazeiro do Norte, e o distrito de Muriti, no Crato, com a substituição de dormentes, correção de alinhamento e nivelamento da linha.
Também foi construída via permanente entre o distrito de Muriti e as proximidades da antiga estação ferroviária do Crato, com a remoção de interferências, terraplenagem e drenagem e reconstruída a ponte ferroviária sobre o rio Lobo, no Crato, e as estações tipo tubular.

Velha Regra

Complementando a postagem Tragédia anunciada e a história se repete...,  a notícia abaixo éde março o acidente aconteceu a poucos Kilômetros do local do choque com o ônibus da Tinguá, e como se pode observar a passagem de nível é sinalizada, o õnibus arrancou as placas com o choque.
O número de mortos e feridos só aumenta, a imprensa esquece do assunto e as empresas de ônibus não cumprem uma velha regra PARE, OLHE E ESCUTE!

Acidente de trem quando não mata aleija, e não duvide disto.


02/03/2010 - 19h20
Sobe para 18 número de feridos em acidente no Rio


Rio - O acidente nesta tarde envolvendo um trem de carga da empresa MRS Logística e um ônibus da Viação Vila Rica numa passagem de nível em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, deixou pelo menos 18 pessoas feridas, todas sem gravidade.
De acordo com a assessoria de imprensa da cidade, entre os feridos estão três crianças que foram encaminhadas para o Hospital Infantil Uimac.
Segundo a empresa MRS Logística, o trem estava na metade da passagem de nível quando o ônibus invadiu o local. Até o início desta noite, a empresa de ônibus não havia se manifestado sobre a colisão. A polícia vai investigar as causas do acidente (não é óbvio? a pergunta é se a empresa de ônibus foi ou será punida).


Atualizando esta semana mais 2 acidentes ocorreram em São Paulo, ambos com ônibus atravessando passagens de nível. não mais tenho a dizer só a concordar com o que já foi dito pelo colega Ralph em seu blog, http://blogdogiesbrecht.blogspot.com/2010/09/as-tristezas-de-um-acidente-ferroviario.html.
__._,_.___

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Antes do Choque


 Aqui esta o outro famoso e saudoso TREM-INCONFIDENTE no qual fazia o trecho de: Barão de Mauá (RJ) à Caratinga (MG); este trem é pouco conhecido pelo os saudosistas (até mesmo para os próprios ferroviários) era muito parecido e confundido com o seu irmão: TREM-CACIQUE (Rio-Cachoeiro de Itapemirim) por ter a mesma composição de carros. Aqui o INCONFIDENTE esta chegando à plataforma-1 de Barão de Mauá em meados da década dos anos 70; em meus relatos e pesquisas este trem foi suspenso do serviço também nesta década, muito antes do seu irmão CACIQUE que foi em 1984. OBS: Era este trem que seguia pela a antiga E.F. RIO D'OURO até Pavuna entrava na ex-Circular da Pavuna; São Matheus (ainda na antiga e saudosa métrica) passando em Rocha Sobrinho; Ambaí até chegar a Japeri; Conrado; Governador Portela; Miguel Pereira; Paty do Alferes; Paraíba do Sul e quando chegava a Três Rios (saindo da LINHA AUXILIAR); e partir daí ele entrava na saudosa e extinta LINHA DE BICAS até chegar ao território mineiro. Foto da ex-REVISTA REFESA.


Foto e texto de Edson V. Teixeira, este é mais um dos falecidos trens da linha auxiliar que tanto fazem falta nos dias de hoje.
Vendo-se o que é a estação de Barão de Mauá hoje é quase impossível imaginar que dali se podia alcaçar praticamente todo o estado do Rio de Janeiro, sul de Minas e do Espírito Santo apenas tomando um trem.


"Eu morava em governador Portela e era agente de estação de lá. Viajei, juntamente com minha esposa e filha, na inauguração deste saudoso trem que teve uma efêmera duração. Foram tiradas muitas fotos para jornais (deve ter algo na biblioteca nacional) e lá estavam as T.V.'s tupi, rio e globo (não me lembro da T.V. continental, que já existia). (A T.V. manchete foi inaugurada bem mais tarde). O fato ocorreu por volta de 1968/69. Mas, me lembro que o trem circulou pelo recém inaugurado trecho Ambaí-Campos Elíseos. Essa foto é extremamente nostálgica para mim..."

José Vasconcelos.

Locomotiva diesel U-10-B(R.F.F.S.A) com o INCONFIDENTE , aqui numa ponte(em curva) entre as cidades mineiras de Manhuaçu e Manhumirim. 
Foto/coleção da REVISTA REFESA(R.F.F.S.A) via-Alexandre Rezende(RUSSO).

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O tempo passa e alguém continua mentindo

Vamos bricar de aomentar uma noícia de jornal....


Para concessionária, metrô do Rio é um dos melhores do mundo
Diretor destaca o ar-condicionado e o índice de passageiros por metro
quadrado, menor que o de Tóquio. Secretário de Transportes vai alterar
contrato para aumentar o intervalo entre os trens e adequá-lo ao tempo
praticado hoje
POR AMANDA PINHEIRO
Rio - Esqueça os atrasos abusivos, a superlotação que já causou desmaios nos passageiros e o ar-condicionado que mais parece sauna. Para a direção da concessionária, o metrô do Rio é um dos melhores do mundo. A empresa se defendeu das críticas dos usuários em audiência pública ontem, na Assembleia Legislativa (Alerj). O diretor de Relações Institucionais, Joubert Flores, listou uma ‘vantagem’: “Nosso sistema é um dos melhores: não há qualquer outro metrô no mundo que tenha ar-condicionado” . Ele comparou a lotação daqui com a de Tóquio: “A nossa média é de 6,2 pessoas por metro quadrado no horário de pico, contra nove no Japão”.
A declaração revoltou passageiros da Linha 2, em que o ar-condicionado funciona precariamente. “Sabemos que em diversos países os trens têm ar. E quando está frio, têm aquecedor. Aqui o sistema não funciona”, contesta a auxiliar administrativa Michele Freitas, 19 anos. O metrô de Madri é um dos que têm ar-condicionado e calefação.


Para a operadora de telemarketing Suelen dos Santos, 22 anos, o caos do metrô é o resultado dessas declarações: “As pessoas acreditam que o serviço é de qualidade graças às propagandas enganosas. Já passei mal devido à superlotação e precisei descer antes da minha estação”.

COBERTOR CURTO

“Para atender o que está previsto no contrato, (intervalo de 4 minutos e 45 segundos, em horário de pico, na Linha 1), seria preciso sacrificar os passageiros da Linha 2, que exige intervalo de 6 min 30 seg. Por isso, estamos trabalhando com 5 minutos e 30 segundos, para não prejudicar só uma
parte”, justificou Joubert.
O secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, vai se reunir com o conselho da Agetransp (agência reguladora do transporte público) para alterar o contrato e adequar o limite de intervalo entre os trens ao que a concessionária pode oferecer. Lopes vai definir também os indicadores de desempenho que servirão de referência para a Agetransp fiscalizar o serviço prestado pela concessionária.
Nova audiência pública será marcada. “O estado, a concessionária ou a agência terão de apresentar estudos que comprovem a alegação da Metrô Rio de que a conexão Pavuna-Botafogo é segura”, disse o presidente da Comissão de Transportes, deputado Marcelo Simão. Para o Ministério Público Estadual, há riscos.

Conselheiro de agência culpa governo (a agência é do governo do estado)


A Agetransp foi o principal alvo dos deputados na audiência. A agência que deveria fiscalizar o metrô foi taxada de ‘omissa’. Conselheiro da agência, Herval Barros culpou o Governo do estado pelo fato de o órgão nunca ter multado ou sequer advertido a concessionária nos últimos anos, mesmo com
todas as falhas.


“Os problemas de operação do metrô estão acontecendo em função da Linha 1A.
Havia pontualmente algumas questões de atraso, mas o conforto e a disponibilidade dos trens na operação original (antes de 22 de dezembro) eram plenamente atendidos. Não havia o problema de agora”, disse Barros, esquecendo que a superlotação do metrô é alvo de queixas dos passageiros
muito antes de dezembro.


O conselheiro disse ainda que a agência tem recebido e comprovado as reclamações dos clientes, mas afirmou não poder punir a empresa, porque os indicadores de desempenho do contrato não foram homologados. Secretário de Transportes, Júlio Lopes prometeu fazer isso.
Metrô da Barra começa a ser construído dia 20. Estado ainda não sabe o trajeto que vai ligar Ipanema à Gávea As obras da Linha 4 do metrô, que ligará a Barra da Tijuca à Zona Sul, a um
custo estimado de R$ 3 bilhões, vão começar no dia 20 de março. Os trabalhos se iniciam pela Estação Jardim Oceânico. Haverá ainda estações em São Conrado e na Gávea, onde termina a linha. Mas a Secretaria Estadual de Transportes admite que não definiu ainda qual será o trajeto seguido pela Linha 1 até a Gávea, onde as duas linhas se integrarão. (já foi tudo "substituído por um projeto de corredor de ônibus)



O caminho tem duas possibilidades: via Ipanema e Leblon, ou por Botafogo e Jardim Botânico. Segundo a secretaria, isso será discutido posteriormente. (quando o inferno congelar?)


As obras da estação na Gávea também ainda não têm data para começar. Ainda assim, a meta do governo estadual é que a Linha 4 fique pronta para as Olimpíadas do Rio, em 2016. O metrô até a Barra substitui a proposta apresentada pelo Rio ao Comitê Olímpico Internacional para os Jogos, que
previa um corredor exclusivo de ônibus da Barra até Ipanema.


No momento em que a construção da nova linha do metrô é iniciada, a concessionária admite que outras obras que deveriam estar sendo concluídas tiveram prazos prorrogados. A Estação Cidade Nova, por exemplo, que ficaria pronta em março, não tem mais data para ser concluída, (não ficou pronta até hoje!) segundo o presidenteda Metrô Rio, José Gustavo de Souza Costa. O trecho de conexão entre linhas 1 e 2, entre São Cristóvão e Central, também passa por ajustes. E a Estação Uruguai mantém previsão para estar pronta em 2014.
Engenheiro bate boca com diretor A audiência também teve momentos tensos. Doutor em engenharia de transportes Fernando Mac Dowell chamou Joubert Flores, do metrô, de mentiroso quando ele explicava a junção de trilhos em “Y”. “Você não pode dizer que a chave de mudança de via é segura e pode evitar um acidente em caso de erro na sinalização, porque as maiores tragédias metroviárias do mundo foram causadas por falha nesta mesma chave”, garantiu.


Questionado por uma cadeirante sobre os problemas de acessibilidade do metrô Joubert adiantou que, de setembro a dezembro, a empresa vai adaptar todas as estações e torná-las acessíveis. (já sucatearam os equipamentos que instalaram)


http://odia. terra.com. br/portal/ rio/html/ 2010/2/para_ concessionaria_ metro_do_ rio_e_um_ dos_melhores_ do_mundo_ 66399.html

Sobre a bondade entre os povos

"Uma Nação que confia em seus Direitos, em vez de confiar em seus Soldados, engana-se a si mesma e prepara a sua própria queda." ( Rui Barbosa )

A BOMBA MUNDIAL QUE NINGUÉM QUER VER...

A CHINA DO FUTURO


Luciano Pires
Alguns conhecidos voltaram da China impressionados.
Um determinado produto que o Brasil fabrica um milhão de unidades, uma só fábrica chinesa produz quarenta milhões... A qualidade já é equivalente. E a velocidade de reação é impressionante.
Os chineses colocam qualquer produto no mercado em questão de semanas... Com preços que são uma fração dos praticados aqui. Uma das fábricas está de mudança para o interior, pois os salários da região onde está instalada estão altos demais: 100 dólares.
Um operário brasileiro equivalente ganha 300 dólares no mínimo. Que acrescidos de impostos e benefícios representam quase 600 dólares. Comparados com os 100 dólares dos chineses, que recebem praticamente zero benefícios...
Hora extra? Na China? Esqueça. O pessoal por lá é tão agradecido por ter um emprego, que trabalha horas extras sabendo que nada vai receber...
Essa é a armadilha chinesa. Que não é uma estratégia comercial, mas de poder.
Os chineses estão tirando proveito da atitude dos marqueteiros ocidentais, que preferem terceirizar a produção e ficar com o que "agrega valor": A marca.
Dificilmente você adquire nas grandes redes dos Estados Unidos um produto feito nos Estados Unidos. É tudo "made in China", com rótulo estadunidense.
Empresas ganham rios de dinheiro comprando dos chineses por centavos e vendendo por centenas de dólares... Mesmo ao custo do fechamento de suas fábricas. É o que chamo de "estratégia preçonhenta".
Enquanto os ocidentais terceirizam as táticas e ganham no curto prazo, a China assimila as táticas para dominar no longo prazo.
As grandes potências mercadológicas que fiquem com as marcas, o design... Os chineses ficarão com a produção, desmantelando aos poucos os parques industriais ocidentais.
Em breve, por exemplo, não haverá mais fábricas de tênis pelo mundo... Só na China. Que então aumentará seus preços, produzindo um "choque da manufatura", como foi o do petróleo.
E o mundo perceberá que reerguer suas fábricas terá custo proibitivo. Perceberá que se tornou refém do dragão que ele mesmo alimentou ( Vale salientar que o mundo Árabe, é como é, graças aos petrodólares ). Dragão que aumentará ainda mais os preços, pois quem manda é ele, que tem fábricas, inventários e empregos... Uma inversão de jogo que terá o Impacto de uma bomba atômica... Chinesa.
Nesse dia, os executivos "preçonhentos", tristemente, olharão para os esqueletos de suas antigas fábricas, para os técnicos aposentados jogando bocha na esquina, para as sucatas de seus parques fabris desmontados. E lembrarão com saudades do tempo em que ganharam dinheiro comprando baratinho dos chineses e vendendo caro a seus conterrâneos...
E então, entristecidos, abrirão suas marmitas e almoçarão suas marcas.


Luciano Pires é diretor de marketing da Dana e profissional de comunicação

O trecho riscado é comentário meu, sinceramente acredito que algo assim acontecerá no entanto não acho que os executivos é que se ressentirão, hoje a administração "moderna" é marcada justamente pela miopia empresarial.
Os grandes executivos se orgulham e lucram muito, com os ganhos imediatos. mesmo que para isso arruínem o futuro das empresas ou mesmo de sues países. Quando a bomba estourar esses executivos já estarão afogados no seu dinheiro, e para variar o restante ada sociedade é que vai pagar por isso, como no choque do petróleo.

domingo, 5 de setembro de 2010

A recompensa pela engenharia bem feita!

O futuro da ferrovia de Angra?





O porto de Angra embora limitado seja estratégico, me assusta o acesso ferroviário estar tão largado.

Pelo que entendi o porto de Angra está sendo reformado para operar como base de apoio a construção das novas plataformas da PETROBRAS para a exploração do pré-sal.

 Planta do porto, já levando em consideração o projeto da planta de fluídos para as plataformas de petróledo da Bacia de Santos




Mesmo enquanto não começa a construção dessas plataformas, sem a ferrovia é problemático trazer as grandes quantidades de aço para o porto de Angra, de onde se alimentam os vários estaleiros da região principalmente o Verolme.
Os dois silos de concreto serviam para o recebimento de trigo importado da Argentina, talvez possam servir para a exportação dos grãos que a FCA vai buscar em Pirapora-MG. Tempos atrás, antes da reabertura da linha de Pirapora, a FCA já estava pressionando a MRS para a instalação de um terceiro trilho na serra do mar e permitir a exportação de soja via estado do Rio de janeiro, evitando os congestionados portos de Santos e a EFVM. O projeto do terceiro trilho não foi à frente e chegou-se a cogitar transbordo da soja para caminhões em Barra Mansa...

Esquema de linha da FCA, mostrando a conexão entre barra mansa e Angra dos Reis, curiosamente não é mostrada a conexão entre as linha da FCA e MRS em Volta Redonda, no início do concessionamento a FCA era a controladora do porto de Angra mostrando que havia algum interesse de investir no mesmo.

Com um calado maior e talvez a construção de um novo píer Angra se tornasse atrativo.
O trigo era recebido em Angra ensacado, o porto hoje está sendo dragado, ou seja, o calado pode se tornar profundo o suficiente para receber graneleiros, hoje já se poderia embarcar soja ensacada com o calado existente.

Como registrado pelo pela página VFCO, o movimento de siderúrgicos ali era forte, creio que deva ter caído devido à concorrência com a linha da EFCB, por exemplo, o carvão da CSN deixou de ser embarcado ali e foi para o porto do rio e depois para Sepetiba.

No entanto hoje as linhas da MRS estão cheias com o minério, com um calado maior o porto de angra pode se tornar uma saída mais curta para a CSN e as indústrias de V. Redonda e região (siderúrgicos, cimento, carvão e talvez algumas cargas captadas em Minas Gerais)  ao invés de se utilizar o porto do rio e Sepetiba este último saturado de minério.

Aspecto da linha entre Angra dos Reis e Lídice, trecho de pior traçado com fortes rampas e raios de curva diminutos.

O perfil da linha apontado por muitos como a razão de estagnação da linha juntamente com a falta de espaço físico para a ampliação do porto creio que seja um problema fácil de contornar.
Entre Lídice e Barra mansa o perfil da linha é parecido com o do resto da linha troco da RMV permitindo a formação de trens relativamente pesados, o trecho entre Angra e Lídice é relativamente curto e com locos de pequeno porte destacadas para este trecho os trens pesados poderiam ser fracionados em Lídice e utilizando-se vários trens menores correndo continuamente neste trecho.

 Trem de Calcário da CSN, com tração trilpa de EMQ-MX620, é um trem típico da linha entre Arcos-MG e Volta Redonda-RJ, trens como esse poderiam trafegar sem problemas até Lídice e lá serem fracionados.

Composição de Calcário, sendo manobrada no terminal de carregamento da CSN na cidade de Arcos-MG, note o comprimento do trem.


 
 Locomotivas modelos G8 (850hp), à esquerda, e G12(1150hp) à direita, estão saindo de serviço em outros pontos da malha da FCA, substituídas por locomotiva maiores com maior capacidade de tração. Poderiam ser remanejadas para Angra ao invés de serem destivadas formando trens curtos em torno de 15 vagões no trecho Angra-Lídice.
 
O porto pode ser ampliado através de um pier novo conforme já dito.O real entrave na minha opinião é a ferrovia ser a FCA, controlada pela vale do Rio Doce, principal rival da CSN, que é o maior cliente potencial da ferrovia. 
Espero que o projeto da PETROBRAS para Angra (pré-sal) tenha força suficiente para suplantar as consequências dessa disputa.
 
 Pátio da estação de Angra dos Reis no início dos anos 90, os sempre presentes vagões prancha com produtos siderúrgicos. Curiosamente os embarques se tornaram mais complicados a medida que no processo de privatização a CSN e a vale se tornaram oponentes.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

O CHOQUE

Seguem algumas fotos da estação de barão de mauá em 1954.
Comparem com as fotos da página O OBSERVADOR feitas este ano.









Retrato de uma era


1952 - Os três tipos de tração convivenndo na EFCB, vapor em destaque, a frente a elétrica e a tímida porém seenhora do futor diesel-elétrica. Saudades de uma época que não vivi.

O curioso é que hoje "quase" se conseguiria repetir a cena, há uma loco a vapor semelhante a esta nas oficinas de São Diogo (supervia ex-EFCB) e um TUE série 100 e uma locomotiva S1 a menos de 2 quilometros dali em Barão de Mauá (ex-EFL hoje central logística, abadonada). Uma pena que se juntássemos as peças da foto teríamos mais uma cena de pós apocalipse do que a reconstituição de um cenário historico.
Por isso o 'quase ", EMBORA AS TRÊS PEÇAS ESTEJAM TÃO PERTO, O SONHO DE VÊ-LAS JUNTAS DE NOVO,  NUNCA ME PARECEU TÃO DISTANTE.

BOM MESMO ERA NO TEMPO DO BONDE?

Recebi pela internet as imagens abaixo, feitas em 1951,  e que servem para ilustrar a situação do transporte público no Rio de janeiro desde... sempre.
Complementando a postagem A batalha do metrô,  nme permiti fazer uma reflexão.
Quando  foi que houve uma política de transporte de massa que visasse atender ao povo?
lendo este blog o leitor perceberá que gasto boa parte do tempo questionando as concessionárias de serviço público, o governo, e etc e tal.
O que eu percebo é que minhas queixas, não são pontuais, são um reflexo de toda uma história de abandono¹.
Visto que este ano, assim como em muitos outros teremos eleições, deixo para os saudosistas as imagens abaixo, e pergunto até quando nós O POVO vamos nos sujeitar a isso.


 














Fotografias do jornal Última Hora
Acervo Arquivo Público do Estado de São Paulo, via Jorge  A. Ferreira

1- O autor deste blog, tem a firme opinião de que boa parte das mazelas sofridas por nosso povo são, geradas propositalmente pelos nossos políticos a fim de perpetuar os abusos e o domínio praticado peos mesmos desde o tempo do cativeiro.
Afinal como um povo doente, cansado e ignorante conseguiria se rebelar? como um sujeito que perde 4 horas por dia dentro de um transporte terá energia para participar do processo político?

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

As últimas viagens

Reportagem publicada pelo Jornal do Brasil em 22 de setembro de 1980, descrevendo a última e melancólica viagem do trem que ligava Barão de Mauá, no centro da cidade do Rio de Janeiro a Recreio-MG  passando Japerí , Miguel Pereira, Três Rios, em praticamente toda a extensão da linha auxiliar da EFCB. O trem  de passageiros deixava de existir depois de mais de 100 anos.
Curiosamente hoje também se despede a fonte da reportagem, o jornal do Brasil deixa de ser publicado em papel, depois de 119 anos initerruptos, memo sob ditaduras e revoluções, resta a versão na internet.
Amarga coincidência.
mas da mesma forma que do JB resta a versão virtual, da Linha Auxiliar restou o trem azul e resta agora o trecho operado pela AFPF, que espero fazer a linha retornar pelo ao menos em uma pequena parte ao que já foi um dia.

Reportagem JB, acervo de Flávio R. Cavalcanti.


terça-feira, 31 de agosto de 2010

Bandidos sequestraram locomotiva da Supervia e obrigaram maquinista a seguir para favela

Pelo menos dez homens armados com pistolas, metralhadoras e escopetas invadiram, às 4h15m do último domingo (22/08), o pátio de manobras da SuperVia em Deodoro, na Zona Norte do Rio, e sequestraram uma locomotiva, obrigando os maquinistas a seguirem para a Favela do Muquiço, em Guadalupe, onde saltaram. A denúncia do sequestro da composição foi feita, nesta sexta-feira, à rádio CBN, pelo presidente do Sindicato dos Ferroviários, Walmir Lemos, o Índio. Após a entrevista, ele não foi mais encontrado. Outros sindicalistas confirmaram a denúncia.

A SuperVia não quis dar detalhes do caso, que está sendo investigado pela 33ª DP (Realengo). A delegacia, por sua vez, informou que tinha determinação da Secretaria de Segurança Pública para não dar informações sobre o crime.
Segundo a empresa, o trecho que a locomotiva percorreu não é usado comercialmente, sendo percorrido apenas por trens em manutenção ou que prestam socorro a outras composições.
Há duas versões para o crime. A primeira é que o grupo que sequestrou a locomotiva era de traficantes rivais aos da Favela do Muquiço. O objetivo da quadrilha seria chegar à comunidade pelos fundos, na localidade conhecida como Reta de Honório, para dominar as bocas de fumo da região. A outra versão é que traficantes do Muquiço estavam voltando para a favela, depois de passarem por Deodoro.

O Globo - 28/08/2008


A própria supervia arregaçou o pátio de Deodoro permitindo a invasão do mesmo, roubo de vagões  e ampliação da favela. 
Quando um funcionário ou passageiro for morto o que será que dirão, fatalidade? 
Ou que é uma sabotagem para arranhar a imagem da empresa, como já disseram em outras situações recentes?

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

E quem diria?

Hoje fui surpreendido pela notícia da implantação de um VLT em Macaé.
Não fui surpreendido pelo projeto, algo que para mim sempre foi óbvio, a surpresa foi saber que algo de concreto foi feito! Apareceu uma foto do trem, é um milagre!
Pena que no acordo de implantação do VLT se tenha suprimido o ramal de Imbetiba, que servia a PETROBRAS antes da FCA abandonar a linha do litoral da EF lopoldina.




Espero que vingue o VLT de Macaé, já estamos escaldados de situações como as que ocorreram em Campinas e absurdos como a linha 2 do metrõ da capital que foi construído sobre uma ferrovia abandonada e ainda assim levou mais de 20 anos para ficar parcialmente pronto.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Informativo AFPF nº82 agosto de 2010

A luta incansável

Reproduzo abaixo o informativo da AFPF deste mês, para quem não conhece a associação a AFPF se dedica a preservação da história e cultura das ferrovias fluminenses e tem pojetos de implantação de trens em miguel pereira petrópolis e a restauração da primeira ferrovia do brasil a estrada de Ferro Mauá localizada em Magé.

Recomendamos a leitura da postagem http://parahdiario.blogspot.com/2009/12/associacao-mfluminense-de-preservacao.html, e se houver interesse as demais com o marcador AFPF.

 

 

O tempo passa... mas o aço é tenaz

 Segue abaixo o texto de Miguel Campos que  veio parar em minhas mãos não lembro como, o mesmo é uma argumentação em favor da re-implantação do trem turístico em Miguel Pereira e mostra a luta da AFPF no trecho e a sacanagem falta de atenção das prefeituras da região com algo que poderia gerar tantos empregos, solucionando um dos principais problemas daqueles municípios.

Lembrando que a prefeitura de Miguel Pereira já asfaltou passagens de nível que haviam sido recuperadas pela AFPF além de reclamar do movimento dos trens no centro da cidade, por causa distúrbio no trânsito (que trânsito?).
Enquanto em Governador Portela a prefeitura destruiu as oficinas e o pátio ferroviário, não construiu nada no lugar,  e deu sumiço ao material existente nestes.

Resta de bom saber que nestes 7 anos a AFPF se mantém e já recuperou seu material rodante, e a via. E vamos em frente que atrás vem... o trem.

O abandono da linha férrea


15/8/2003 - Miguel Campos


O Movimento Pró Trem Turístico tem como objetivo obter apoio das Prefeituras, do comércio local e da população em geral das duas cidades para que, em conjunto, trace planos e apresente as suas reivindicações para a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e a FCA.


"Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come"


Precisamos, todos, sem distinção, nos unir para o Bem da nossa região !! Estamos, e a olhos vistos, empobrecendo e não há uma expectativa de melhora. Se formos listar a quantidade de empresas, lojas e/ou moradores que NÃO CONSEGUIRAM se manter aqui, seria com certeza uma listagem extensa e triste.


Toda esta nossa região, de Miguel Pereira à Paraíba do Sul tem um déficit gigantesco de empregos. Geralmente quem vem morar por aqui já tinha imóvel para o “veraneio” ou por busca de “qualidade de vida”. Tudo na vida tem limite. Apesar de estarmos bem próximo da cidade do Rio de Janeiro e de outros grandes centros urbanos, hoje não temos turistas. A situação atual do País é bastante díficil. Temos um futuro brilhante como País mas SEMPRE somos alvo de CRISES de todo o tipo. O futuro do Brasil sempre foi e sempre será um grande produtor de alimentos. Não é necessário abrir mão da industrialização. Desde que inteligente, benéfica e quase unilateral para o nosso País.


De um modo geral, nós brasileiros, nem por um segundo sequer, sabemos de tecnologias totalmente nacionais, invejadas e desejadas por muitos países superiores. Precisamos nos orgulhar do que temos e buscar o que desejamos.


Se não temos indústrias, temos então um clima no mínimo extremamente favorável para aqueles que buscam qualidade de vida. Precisamos desenvolver o turismo atualmente em estado embrionário. Mas já esteve embrionário antes. O que falta, talvez, é a parceria tão falada no Mundo de hoje e tão difícil de praticar por aqui. Ou por vaidade (o que aliás tem de muito), ou por falta de atitude e também, por que não, por pouco dinheiro não só do Governo Municipal mas também dos que escolheram investir aqui.


É hora de buscarmos nossas raízes, valorizarmos o que é nosso, e traçarmos planos a curto, médio e longo prazo. Se temos o Lago de Javary como cartão postal da cidade de Miguel Pereira, tratemos antes de qualquer urbanização de criarmos um HÁBITO nos moradores para que vá até lá ao encontro dos seus nos finais de semana e em feriados. Não é necessário disser que, automóveis ou motos, apenas os dos moradores e de seus visitantes. Aliás é a cidade das motos desembestadas e sem qualquer placa. Um paraíso para os ilegais. Lei neles.


É notório que Luiz Gonzaga (pai) ajudou a arrecadar fundo$ para a construção do Hospital Fundação. Será que alguém tem fotos ou filmes do Rei do Baião tocando a sua famosa sanfona em pleno centro de Miguel Pereira ? Gonzagão, como era conhecido pelo Brasil inteiro, teve uma fazenda aqui chamada Asa Branca que hoje pertence à uma pessoa bastante famosa. Será que não teríamos material suficiente para termos aqui um museu em sua homenagem ? Sabe o famoso Pé-Grande nas montanhas do Colorado, nos EUA, é uma invenção de um Guarda Florestal que faleceu recentemente. Puro marquetim, grosseiro, mentiroso e imbecil. O também famoso Luiz Gonzaga é “realidade”, sentimento e mexe com o orgulho do brasileiro. O Rei do Baião já se foi mas a sua herança é valiosa. Façamos um museu em sua homenagem. O que não falta é incentivos fiscais para empresas que investem em Cultura.


Valorizar a nossa história não é uma necessidade só de Miguel Pereira. A cidade irmã de Paty do Alferes (tão perto - 7.0 kms) tem a maravilhosa Aldeia de Arcozelo. Um show no teatro de arena com músicos do calibre de Wagner Tiso, por exemplo, seria indescritível. Idealizada por Paschoal Carlos Magno, está hoje atrelada a Funarte que não tem dinheiro para recuperá-la e nem desenvolve eventos de maior peso no cenário Estadual. Mais uma vez, não falta é incentivos fiscais para empresas que investem em Cultura.


O distrito de Governador Portela vai ganhar uma praça junto a linha férrea. Desde que houve o tombamento (chão mesmo!) dos galpões da quase extinta R.F.F.S.A., a atenção e os olhos dos ferroviários, e dos moradores desta região, tem se voltado para a possibilidade da implantação do Projeto Maria Fumaça. Alguns falam em sonho, outros não falam, agem. A AFPF (Associação Fluminense de Preservação Ferroviária), um baluarte no Estado do Rio de Janeiro que vem batalhando e muito pela implantação do Projeto Maria Fumaça aqui na nossa região. Esta mesma Associação foi quem manteve, a duras penas, o nosso trecho de Portela à Avelar em bom estado de conservação. Ato de bravura e que hoje tem o reconhecimento da própria FCA (Ferrovia Centro-Atlântica S.A.).


A Prefeita de Paty do Alferes, Lúcia de Fátima, já enviou no dia 19 de março, por um representante do Movimento Pró Trem Turístico, carta de intenção em conjunto com a AFPF demonstrando o seu apoio e esforço na materialização deste projeto que tem como objetivo trazer o Turismo e em relativo curto espaço de tempo.


Atitudes como esta só trazem o bem e prosperidade para a Comunidade. A estação de Avelar até que está em bom estado. Com certeza trará oxigênio para o comércio local e empregos para muita gente que um dia teve na linha férrea o seu ganha-pão.


Na sexta-feira (21/03) a TvRio Sul, repetidora da Rede Globo na nossa região, colocou no ar uma matéria a respeito do abandono de um dos maiores símbolos da nossa linha férrea. A ponte que leva o nome do engenheiro Paulo de Frontin, é o que se chama de uma obra de arte em matéria de ferrovia e no entanto nem tombada está pelo IPHAN. O Movimento Pró Trem Turístico vai se empenhar, junto ao prefeito de Miguel Pereira, Dr. Fernando Pontes, para que toda documentação seja encaminhada ao Governo Federal pois se continuar sem manutenção será, com certeza, tombada pelo tempo.


Nesta sexta-feira (28/03), o auto de linha que esteve por quase dois anos sendo reformado na Fiat Serra Azul, deverá finalmente ser retirado para reforma de motor e bancos. É peça chave para recuperação e manutenção da linha. Com certeza se estivesse trafegando não haveria tantas invasões, roubo de dormentes e trilhos. (Leia mais em http://parahdiario.blogspot.com/2010/01/o-auto-de-linha-rffsa-101.html)


A Prefeitura de Miguel Pereira tem um motor a diesel disponível, o atual é a gasolina, para colocar o auto de linha de volta nos trihos. O comércio de Miguel Pereira e Paty do Alferes está, desde já, convidado pelo Movimento Pró Trem Turístico para colaborar com a manutenção e em tempo hábil, na confecção de uma ou duas jardineiras para poucos lugares.


O Movimento Pró Trem Turístico tem como objetivo obter apoio das Prefeituras, do comércio local e da população em geral das duas cidades para que, em conjunto, trace planos e apresente as suas reivindicações para a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e a FCA.


Se já houve até trens de carga na região porque agora não poderíamos ter Trem Turístico ? O Projeto é ambicioso e contempla três cidades. Miguel Pereira + Paty do Alferes + Paraíba do Sul. É evidente que para iniciar, o MPTT objetiva o trajeto de Governador Portela até Avelar.


Na época do Trem Azul não haviam tantas lojas como hoje e o Turismo é a vocação natural da nossa região. É saber divulgar, monitorar o comércio (apoio e formação) e criar oportunidades para todos. O Projeto Trem Turístico CRIA a expectativa de um final de semana com as cidades cheias e reverte a médio e longo prazo uma situação de angústia e desespero para muitos. Incluímos aí até as próprias Prefeituras com sua arrecadação em queda e sua folha de pagamento cada vez mais comprometida.


P. S. - no guia Brasil 2000 (Editora Abril), em Miguel Pereira está escrito que é uma das cidades mais procuradas pelos cariocas nos finais de semana. Será ?

domingo, 15 de agosto de 2010

Tragédia anunciada e a história se repete...

Mais uma vez aconteceu, 
de novo um pobre se F...

Ontem um trem da MRS logística e um ônibus se chocaram em Miguel Couto Nova Iguaçu - RJ.
Apesar dos feridos e da possível vítima fatal essa notícia não me impressiona mais, a pouco tem um ônibus da viação Mirante foi atingido em Belford Roxo e constantemente na baixada acontecem choques entre veículos e trens, principalmente ao longo da linha auxiliar.

Mas por quê? Dessa vez é fácil responder:

1-Imprudência dos rodoviários

Dificilmente os rodoviários param para olhar a linha e ver se tem algum trem se aproximando, isso quando não param sobre a via, coisa comum ao longo da linha auxiliar já que a densidade de tráfego neste trecho é baixa.
Além disso, a imensa maioria dos motoristas esquece que um trem não é um carrinho de compras, mesmo que o maquinista veja o veículo o espaço necessário para a parada não será suficiente.
A prioridade deve ser sempre do trem isto é lei e é ensinado em auto-escola, mas quem liga para o que se liga na escola? Seja lá qual escola...

2-Descaso das empresas de ônibus.

Há cerca de 15 anos atrás um ônibus da viação São Francisco foi atingido em Engenheiro Pedreira por um trem da então flumitrens que trafegava a cerca de 40Km/h. O choque foi tão violento que o coletivo girou arrancou os trilhos e os passageiros foram ejetados pelas janelas.
Deste terrível acidente em diante algumas coisa mudaram, diversas passagens de nível irregulares foram fechadas as outras, como a do acidente mais recente, foram sinalizadas, principalmente após a privatização. E foi criada uma lei estadual onde os cobradores ou auxiliares de motorista são obrigados a descer dos coletivos e atravessar a pé a passagem de nível para garantir que não há risco de choque.


Embora os jornalistas desconheçam este é o procedimento previsto por lei para travessi de ônibus sobre passagens em nível.

Mas aí veio o micrão, (http://viajantedoria.blogspot.com/2010/03/querida-esticaram-o-micrao.html), resposta das empresas de ônibus ao transporte irregular, os micro-ônibus não possuem cobrador e não precisam cumprir a etapa de atravessar a pé a linha para garantir que não há risco de choque.
Na capital há um limite de comprimento para os micrões, definido por lei. Para o estado não, então temos ônibus como os da Tinguá com capacidade para 70 passageiros operando apenas com o motorista que também é responsável pelas passagens.

Resultado um veículo longo lotado com o condutor distraído sobre uma passagem de nível, e mais meia dúzia de corpos no chão...

E segue a notícia, pelo ao menos dessa vez uma parte da imprensa não tentou colocar a culpa no trem...


Duas vítimas de uma batida entre um trem e ônibus continuam internadas

Rio - Apenas duas das 20 vítimas de um acidente entre um trem de carga e um ônibus em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na noite desta quinta-feira, continuam hospitalizadas. Mais cedo, 12 pessoas ainda estavam internadas no Hospital da Posse. Um dos feridos precisou passar por uma cirurgia por causa de um trauma no abdômen. Na batida, 20 pessoas ficaram feridas, sendo que três delas em estado grave.



A colisão entre o coletivo da linha 490 (Miguel Couto-Central), Viação Tinguá, e o trem aconteceu por volta de 19h.  A batida foi na Avenida Luiz de Lemos, em Miguel Couto. Segundo testemunhas, o ônibus, que estava com cerca de 30 passageiros, havia acabado de deixar grupo em um ponto e, quando atravessava a passagem de nível, foi atingido pelo trem, capotou e ficou tombado.


As vítimas foram socorridas por bombeiros e levadas para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu. Três estavam em estado grave, entre eles um homem, com traumatismo craniano, precisou ser transferido para o Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias.


O motorista foi acusado de não parar no cruzamento. “O trem apitou e acendeu o farol mas o motorista estava distraído, conversando”, contou o autônomo Edérson de Freitas, 28 anos, que sofreu ferimentos na cabeça e no braço. O motorista, Adriano Araújo, também se feriu.


A empresa Tinguá acompanhou o atendimento aos feridos e prometeu apoio às famílias. Segundo a MRS Logística, responsável pelo trem, a sinalização no local é direcionada para que os veículos parem — os trens têm sempre autorização para seguir.









NUNCA PARA SOBRE A VIA FÉRREA!!!


sábado, 14 de agosto de 2010

TREM MATA ATLÂNTICA , mais um capítulo da novela!



Mais um capítulo da saga do retorno do trem da mata atlântica, aparentemente a prefeitura de angra dos reis está realmente trabalhando na volta do trem.
Será que finalmente os trens de passageiros vingarão ou teremos mais um caso como o do finado Barrinha.
Os outros capítulos dessa jorça o leitor pode acompanhar nos links:

http://parahdiario.blogspot.com/2010/08/angra-agora-vai-de-novo.html


 http://parahdiario.blogspot.com/2010/07/angra-dos-reis-agora-vai.html 

http://parahdiario.blogspot.com/2010/06/trem-barrinha-resumo-historico.html


http://parahdiario.blogspot.com/2009/12/agora-e-oficial-barrinha-nao-volta.html


A volta do turismo sobre rodas de aço

Publicado em 14/08/2010, às 18h00


Trem da Mata Atlântica poderá compor novamente a paisagem entre Angra e Rio Claro


Angélica Arieira

Sul Fluminense

O Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre) cedeu os seis vagões que irão compor a nova versão do Trem da Mata Altântica à prefeitura de Angra dos Reis. O pedido foi aceito há cerca de 20 dias e o termo de cessão foi publicado no Diário Oficial da União.


Com a cessão dos vagões, a expectativa é que após o processo eleitoral a licitação de operação do trem e das reformas necessárias seja realizada. A previsão é que as viagens aconteçam em sete meses, de acordo com as informações do presidente da TurisAngra (Fundação de Turismo de Angra dos Reis), Marcus Veníssius Barbosa. Segundo ele, tudo dependerá apenas do final período das eleições de outubro.


- O mais difícil nós conseguimos. Temos os seis vagões que serão usados para o transporte, e mais três que farão parte do maquinário reserva. Também já conseguimos um investimento de R$3,6 milhões. No entanto, para que o dinheiro seja liberado pelo Ministério do Turismo é preciso esperar o período eleitoral ser finalizado - explicou.
O recurso já carimbado para o empreendimento será usado, segundo Barbosa, na reforma dos vagões e na construção de uma estação em Angra e na reforma de uma outra em Lídice, distrito de Rio Claro.


A intenção é que o trem retome inicialmente sua rota original Angra-Lídice (40 quilômetros), mas o trajeto não deve ficar só nesta extensão. Embora os vagões tenham sido cedidos à prefeitura de Angra, o projeto integra também os municípios de Rio Claro e Barra Mansa.- Na verdade a intenção é inicialmente manter a mesma rota ferroviária, mas não o mesmo percurso. Os turistas agora poderão partir de Barra Mansa e desembarcar por lá também. Será uma rota rodoferroviária, pois a linha férrea será de Angra até Lídice, com o trajeto de Lídice à Barra Mansa sendo feito por micro-ônibus. Vamos integrar a região litorânea à região do Médio Paraíba - afirmou o presidente da TurisAngra.


A integração rodoferroviária, no entanto, deverá ocorrer somente por algum tempo: a pretensão é de que, depois que a primeira parte do trajeto já esteja vigorando, a linha ferroviária também chegue à Barra Mansa.
- Planejamos que os recursos alcancem a casa dos R$5 milhões, isso já incluído Barra Mansa como trajeto ferroviário - previu.Ainda não há uma definição sobre qual empresa fará a operação do trem, já que somente após as reformas as prefeituras poderão contratar o serviço terceirizado.

Concessão Pública

Marcus Veníssius Barbosa lembrou que já existe uma empresa que utiliza os trilhos da rota, mas somente para o transporte de cargas e que, pela concessão que a empresa já possuiu, ela é obrigada a destinar duas vezes por dia horários para a passagem de trens com passageiros.


- O órgão que regulamenta o transporte é a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e é ela que faz todas as exigências para a retomada da utilização desse trem. O que acontece é que os trechos são concedidos. Atualmente quem explora o trajeto é a FCA (Ferrovia Centro - Atlântica) e nossa intenção é que talvez ela própria possa operar o trem turístico, mas desde que a concessão seja pública e não particular - afirmou.


O presidente da TurisAngra lembra que o trem turístico funcionou até 1996 e que, por ser explorado por uma empresa privada quando o passeio foi interrompido, nada podia ser feito pelas prefeituras para que o passeio pudesse ser retomado. - Nossa meta é que a concessão seja pública e dada às cidades interessadas, ou seja, Angra dos Reis, Rio Claro e Barra Mansa. Dessa maneira, evitamos deixar esse patrimônio cultural nas mãos de particulares e correr o risco de o passeio ser interrompido a qualquer momento - esclareceu.

Empreendimento deverá aquecer turismo das cidades

Além do trajeto facilitado e da integração dos municípios, a retomada do transporte de passageiros por meio de trem do Médio Paraíba à região litorânea cria a expectativa de que as cidades invistam ainda mais em outras formas de turismo.


- Angra é ponto de atração de turistas no verão em potencial, por causa das praias. Com a retomada do trem, a prefeitura pretende investir na recuperação do Centro Histórico da cidade e manter o turista por aqui para além das datas sazonais. O Trem da Mata Atlântica explora a beleza natural e é um ótimo meio de atração de novos públicos que não querem só a praia - disse.


O prefeito de Barra Mansa também destacou que para o município o Trem da Mata Atlântica será uma opção não só de transporte alternativo para o litoral, como também de atração de novos públicos para a cidade.- Sem dúvida, estamos felizes com os passos que vem sendo dados com o projeto. A aquisição dos vagões é o início de um investimento que deixará a região do Médio Paraíba ainda mais unida à Costa Verde. Temos certeza que todos vão ganhar, e Barra Mansa fica feliz em participar da retomada deste projeto tão importante para o Estado - disse.

Conheça o projeto para o trem

Além da locomotiva, o Trem Ecoturístico da Mata Atlântica será composto por seis carros. Serão cinco carros de passageiros, com capacidade para 48 pessoas sentadas em cada um, todos equipados com bancos estofados, janela panorâmica, ar-condicionado, sistemas de vídeo, som e vigilância, dois sanitários com tratamento químico de efluentes e coleta seletiva de lixo.


O trem terá ainda um carro restaurante, com 48 lugares e serviço de buffet durante o percurso, além de um carro de apoio ao restaurante, com toda infraestrutura para os serviços de cozinha. Para garantir conforto e segurança, a operação da linha será realizada por empresa especializada no ramo de administração de trens de passageiros. A empresa será escolhida pelas prefeituras.
http://www.diariodovale.com.br/noticias/4,26366.html




O que realmente mudou?

Documento especial de 1990, sobre o surfe ferroviário. Várias imagens sobre a miséria que é o subúrbio do rio fde janeiro, hoje são poucos os surfistas, mas o que mudou realmente?